Exu

Exu é o senhor das encruzilhadas, dos caminhos, das passagens, das estradas, da porteira, da tronqueira, é o guardião, o guerreiro, o atalaia, o defensor, é aquele que guarda o externo, é responsável pela comunicação, pela articulação das palavras, é a virilidade, por isso muitas vezes é representado pelo falo (órgão sexual masculino), é a vitalidade, é o fogo, é o executor da lei divina e da lei do carma. O dia da semana atribuído a Exu é a segunda feira, é sincretizado como Santo Antônio em 13/6, quando abre a ronda, período do ano esta sob a regência de Exu e encerrando em 24/8. Em todas as religiões de matriz africana, nada se faz, nenhum trabalho começa sem se pedir licença e saudar Exu. Como diz o ponto: “Oi sem Exu não se pode fazer nada”, pois do contrário, é considerado mal presságio, sinônimo de confusão, pois Exu é que garante a segurança dos trabalhos de uma casa. Exu No Candomblé, Exu é um dos Orixás do panteão africano, desta forma, ele é “Pai de Cabeça / Regente de Ori”. É o mais humanizado dentre os Orixás. Já na Umbanda, Exu, é considerado um falangeiro, esta subordinado a Ogum e não é considerado Orixá. A compreensão sobre Exu é uma das mais controvérsias culturalmente dentro e fora das religiões de matriz africana. Popularmente Exu foi sincretizado como o “Diabo”. A palavra diabo é oriunda de “diabolô” do grego, que significa aquele que gera dúvidas, que divide, que corrompe. Isso faz associação direta, ao jogo das palavras de Exu. No qual, a lenda africana diz que Exu convenceu a lua ir para o dia e o sol ir para a noite, instaurando o caos no mundo. “Exu faz o certo virar errado e o errado virar o certo!” Exu Outro fator, é devido ao artefato usado por Exu, o tridente / garfo, que simboliza os quatro elementos, sendo as três hastes que apontam para cima a representação do fogo, da água e do ar. Enquanto a haste que entra em contato com o chão simboliza a terra. Também simboliza o homem, que busca elevar-se das trevas em direção a luz. O tridente foi atribuído a Exu através do sincretismo no Brasil, haja visto, que na África o objeto de fetiche dele era o cajado nodoso. O tridente também é uma simbologia a energia tripolar de Exu. A energia de Exu é tripolar: positivo (movimento), negativo (inércia) e neutro (equilíbrio). Isso não quer dizer que Exu faça o bem e faça o mal, isso significa que tudo na vida tem polaridades energéticas que geram equilíbrio. Exemplo disso, é a corrente elétrica de uma casa. Os polos desta tripolaridade também são simbolizados por: Exu, Pomba Gira e Exu Mirim; Masculino, feminino e criança; Dentro, fora e vazio (o nada). Os garfos quadrados são associados aos Exus, enquanto os arredondados são atribuídos as Pombas Giras. Exu A falta de esclarecimento acerca do ritual de Exu, por parte dos adeptos da religião e também a falta de explicação aos frequentadores até os dias atuais é um fator que muito distorce a seriedade do trabalho da Umbanda. Não podemos admitir que Exu continue sendo estigmatizado dessa forma tão torpe. Nós umbandistas, precisamos levar luz as trevas do desconhecimento a respeito da nossa religião. Os umbandistas precisam saber explicar a sua religião com segurança, firmeza, sem titubear! Temos que desmistificar essa associação de Exu com o diabo e ao mau. O primeiro passo, é não propagarmos cantigas (pontos cantados) que façam alusão ao mal, coisas negativas e ao diabo. Compreendemos o ponto cantado como um mantra, uma oração, algo sagrado, que transmita uma mensagem positiva aqueles que vem o terreiro. “Exu atira a pedra hoje para acertar o pássaro amanhã!” Exu Trabalho espiritual e disciplina caminham de mãos dadas, desta forma, todo trabalho espiritual tem inicio, meio e fim, tendo um objetivo claro em propagar o bem e os ensinamentos do Cristo. Assim sendo, é incoerente a ocorrência de bebedeiras em Giras de Umbanda, em especial nos trabalhos da falange de Exu. Vamos refletir… Qual o exemplo positivo que estará sendo transmitido para os frequentadores, em especial para as crianças? A Umbanda é religião que propaga o bem, a caridade, desta forma, não comporta nenhum espirito que trabalhe para fazer o mal. Exu é um grau espiritual, os trabalhadores desta falange, trabalham sob a égide de Ogum. Seria coerente Ogum, o Orixá da Lei, permitir que um dos seus trabalhadores façam o mal? Exu Exu Mirim Exu Pomba Gira A virilidade, a energia sexual, a geração, o gozo, o falo associados a Exu são vistos até os dias atuais como algo pecaminoso, sujo, pudico que é reprimido pelas religiões católica e neopentecostais. As cores associadas a falange de Exu, preto e vermelho, são interpretadas de forma equivocada. Visto que para nós o preto simboliza a noite, o que esta oculto, as regiões sombrias que Exu caminha, a energia absorvedora. Enquanto o vermelho é a representação da força, vitalidade, virilidade, da lei, das batalhas e demandas vencidas por Exu. Podem haver variações nas cores, mediante ao entrecruzamento energético e o Orixá que rege o trabalho de cada guardião. É comum, por exemplo, vermos alguns Exus regidos por Pai Omulu utilizarem a cor roxa, como a falange dos Caveiras. Exu Na cosmologia nagô ioruba, Exu, é um dos mais antigos Orixás. As lendas dizem que antes do mundo ser criado, Exu já estava lá, no nada, no vazio, desta forma Exu esta em todo lugar. Aonde tem um Orixá, Exu está lá, tomando conta do reino, fazendo a sua ronda. Sendo assim, além das encruzilhadas, caminhos, estradas, passagens etc. Também esta no cemitério, no mar, no pedreira, nas matas, nas campinas, no tempo, na cachoeira, no mangue, na lagoa etc. A energia na qual Exu é detentor é considerada tripolar: positiva, negativa e neutra. Desta forma, Exu é capaz de expandir, de absorver e neutralizar. Por isso, Exu como um guerreiro da lei, é perito na utilização e manipulação dos mais diferentes as aspectos e elementos no combate e quebra de magia negra. Desta maneira, vemos atribuído a sua ritualística: tridente, punhais, foices, espadas, cajados etc. Exu Exu é movimentador e o seu nome significa esfera, por isso algumas casa ao saudá-lo unem as mãos e fazem movimentos circulares. No TEA, unimos os pulsos com as palmas das mãos voltadas para o chão com dedos retraídos quando o saudamos, pois a energia de Exu é absorvedora. Também é comum entrecruzarmos os ante braços, fazendo alusão aos caminhos e encruzilhadas de Exu, o reverenciando e consequentemente nos descarregando. A saudação de Exu = Laroiê Exu! Exu é Mojubá! Laroeiê = pessoa muito comunicativa; Laroiê Exu =Mensageiro Exu; Mojubá = Meu respeito; Exu é Mojubá = “Exu eu te saúdo” ou “Exu é Grande, te reverencio”; Exu a vós meu respeito! Exu na Umbanda é um falangeiro que trabalha sob a égide de Ogum, na execução da lei do carma, desfazendo e combatendo o mau. Desta forma, não existe a história de Exu fazer o bem e fazer o mau.

“Exu é justiça e não faz maldade, Exu vem na Umbanda praticar a caridade”.

A vibração dos enviados da falange de Exu é mais próxima de nós encarnados. São detentores de uma energia mais densa, por habitarem as regiões umbralinas atuando em resgates e combates no astral inferior. Os enviados desta falange detém os mais diferentes comportamentos. Alguns são falantes e brincalhões, enquanto outros, sisudos e sérios. Sendo assim, não estabeleceremos uma classificação, por exemplo, que os Exus ligados a Omulu são austeros, mais do que os que trabalham na vibração de Oxum. Exu Apesar de assumir as mais diferentes roupagens fluídicas, Exu, não tem nenhuma relação com o diabo. Temos diferentes falanges de atuação nos reinos habitados por Exu. No cemitério, existem as falanges que atuam na porteira como Exu 7 Porteiras, os que habitam o cruzeiro, tais como seu Tranca Rua das Almas, 7 Cruzeiros etc. Os exus que trabalham na vibração telúrica de Pai Omulu, tais como 7 Catacumbas, 7 Covas, 7 Palmos e uma das maiores falanges, que é a falange dos Caveiras. Tranca Ruas ou Tranca Rua é uma falange encontrada em todos os reinos e tem desdobramentos como Tranca e Retranca, Tranca Gira, Tranca Tudo etc. Havendo distintas qualidades como: Das Almas, Embaré, Ronda, Estrada etc. Exu A oferenda de Exu na Umbanda é o padê. É feito com elementos como: fubá, farinha de mesa, cachaça, dendê, cebola, pimenta, ovo, charuto, velas (branca, preta, vermelha etc.), moedas etc. As variações ocorrem mediante ao fundamento de cada Exu. Também podemos ver fumo de rolo, favas (garra de Exu, olho de Exu), camarão, pipoca, cigarrilha, água, whisky, conhaque etc. As oferendas podem ser arriadas em alguidares, folhas de mamona ou de bananeira. As ervas associadas a ritualística de Exu em geral são quentes, agressivas e também servem para Pomba Gira: Abre Caminho, Vence Demanda, Aroeira, Pinhão Roxo, Arrebenta Cavalo, Açoita Cavalo, Beladona, Garra do Diabo, Arruda, Amendoeira, Mamona, Fortuna, Comigo Ninguém Pode, Dinheiro em Penca, Dólar, Pimenteira, Fumo, Figueira, Mangueira, Urtiga, Bananeira etc. Essência: Abre Caminho Cristal: Turmalina Negra, Onix, Obsidiana Preta.